Prezados leitores, para melhor me explicitar permitam-me expressar-me na terceira pessoa. Paula Borges, 39 anos de idade, é uma imigrante brasileira, natural de Goiania-GO, e paulista de coração, da qual morou na capital de Sao Paulo por 18 anos até decidir vir para a America. Em 2016, após várias crises políticas e economicas no Brasil, e mais tardar com a morte do seu pai, Paula decidiu vir para os EUA a fim de investir nos estudos da língua inglesa, de forma rápida e efetiva, estando mergulhada no meio americano a fim de atingir o objetivo de aprender inglês como segunda língua, em um prazo maximo de um ano. Inicialmente, o planejamento de Paula era além de dar uma espairecida na cabeça em aspectos pessoais, principalmente em função da perda do pai, era poder com o  idioma ingles, levar sua carreira profissional para o próximo nivel, como Controller ou Gerente em Controladoria e Finanças no Brasil, atividade para a qual era certificada desde 2009 com MBA em Controladoria e Finanças através da Universidade Uninove, da capital Paulista.

Apesar do foco nos estudos, Paula veio para os EUA com visto de turista com validade de um ano (após extensão), opção escolhida por muitos brasileiros em função do mesmo ser o mais barato e menos burocrático na categoria de vistos. O intuito era estar mergulhada na cultura americana à fim de aprender, rapidamente,  falar ingles e poder assim exercer a função de Controller no BrasilPaula Borges.  Apesar de ser certificada na atividade de Controller, e da experiência de 20 anos, na área de controladoria e contabilidade tributária, para exercer a atividade de Controller no Brasil, era preciso ter conhecimento do idioma inglês para tradução, comunicação e emissão dos reports junto às empresas americanas que possuem negocios no Brasil.

Os primeiros meses de America não foram fáceis. Paula Borges chegou nos EUA no final do mes de abril de 2016, e trouxe consigo sua filha única,  que na epoca possuia apenas 8 anos de idade. Como muitos que chegam do Brasil aos EUA, desconhecia que o período escolar americano diverge do brasileiro, onde o ano escolar no Brasil vai de Janeiro à Dezembro do mesmo ano. Nos EUA o período escolar inicia em agosto do ano vigente e termina em maio do ano seguinte. Isso devido ao país possuir estações do ano mais marcantes do que no Brasil, principalmente em relação ao frio, essa escala escolar é feita a fim de proporcionar o período de férias escolares nos meses de verão, para que as criancas e famílias aproveitem melhor o periodo de descanso para atividades escolares ao ar livre.

Sem saber dessa problemática, Paula chegou em Atlanta, no estado da Georgia, com a “cara e coragem” e muita força de vontade, fóco e fé, para iniciar a busca pelo sonho e realização profissional. Inicialmente,  sua meta era atingir a posição de Controller no Brasil, planos estes dos quais mudaram no decorrer do tempo. A questão da diferença de período de férias escolares para o calendário brasileiro, trouxe mais esforco financeiro por parte de Paula, em função dos recursos planejados propostos não terem sido feitos, considerando essa problematica, mas isso não foi motivo para que ela desistisse de seu sonho e foco em se ter o Inglês como segunda língua. Paula teve que investir em babysiter para que a filha menor tivesse alguém que a cuidasse, enquanto estudava para tirar a carteira de motorista americana, e conseguir uma atividade informal remunerada, por conta do seu status imigratório, a fim de auxiliar a se manter durante o periodo de estadia nos EUA, sem que isso comprometesse também o tempo de estudos do idioma, na medida do possivel, realizado em escolas de Entidades Nao Governamentais (ONGS), como classes de inglês e estudo biblico para imigrantes nas igrejas, e no Goodwill, onde estudava três vezes por semana em cada uma dessas instituições Filantrópicas, além do  estudo de inglês em casa, e dos amigos, afinal de contas, esse era o objetivo, estar mergulhada no idioma americano a fim de aprender rápido o Inglês de conversação.

Paula Borges trabalhou em tempo parcial limpando casas e restaurantes, como ajudante na instalação de pisos de madeira, animando festas infantis, em loja de concessionária lavando carros e buscando carros em leilao, etc. até iniciar suas atividades na área contábil através da referencia de uma amiga conseguiu  à posição de contadora para uma empresa brasileira de pequeno porte.

Em meio à essa experiência super enriquecedora, tanto moral, espiritual e profissionalmente falando, Paula Borges conheceu um americano, que de inicio se apresentou como amigo para ajudá-la com o idioma. Amizade da qual se desenvolveu e se tornou em um casamento que em Julho de 2021 completará 4 anos. Após o casamento, em Julho de 2017, Paula Borges abriu mão dos planos iniciais de vir para a América para aprender o idioma, e atingir o último nivel na carreira profissional em Controladoria no Brasil, para investir em algo maior que o profissional, na familia. E com essa escolha, os desafios da vida de um imigrante, mesmo que legalizado na América.

Contribuição de imigrantes para a América no ambito financeiro:

pessoal, patrimonial e corporativo

Em 2017, após passado casamento, e a decisão de permanecer nos EUA de forma definitiva, Paula Borges que já atuava na área financeira no Brasil, decidiu começar a entender sobre as opções de seguranca, planejamento de faculdades e aposentadorias aplicados aos EUA, uma vez que agora, essa seria sua nova casa e seu novo futuro deveria começar a ser construido na urgência do ontem, principalmente ao saber do alto custo  de gastos hospitalares em questões de doenças graves, faculdades caras (mesmo que públicas) e da baixa distribuição de renda nas aposentadorias públicas oferecidas pelo governo atraves do SSN.

Entre várias análises de produtos financeiros americanos para efeito de aposentadoria privada, e após a leitura de um artigo no Gazeta News falando sobre Planos Indexados, Paula Borges resolveu entrar em contato com a responsável do artigo, Claudia Fehricbach, para saber sobre os planos financeiros na posição de cliente, e assim surgiu a primeira oportunidade de trabalhar na indústria financeira nos EUA, para atuar como consultora na industria de seguros, uma vez que Claudia viu em Paula um potencial muito além de cliente, e sim, uma pessoa que ama finanças, gosta de aprender e mais ainda, de ensinar o conhecimento já adquirido, isso porque Paula no Brasil alem de atuar como contadora, consultora financeira, e gerente de projetos, também atuava como professora, dando aula em duas escolas tributárias em Sao Paulo, na esfera fiscal.

Naquele momento, Paula Borges ja atuava como bookeeper (responsavel por toda contabilidade, contas a pagar, contas a receber, folha de pagamento, faturamento, conciliações bancárias, etc) de um General Contractor e não quis aceitar a proposta num primeiro momento. Um ano se passou, após um encontro maravilhoso que aconteceu em Atlanta, em um Retiro de Treinamento promovido por um dos maiores brokers dos EUA para agentes qualificados, licenciados, escolhidos de acordo com o potencial de interacao e crescimento junto ao grupo, do qual Paula Borges foi convidada por Claudia Fehribach à participar desse evento para conhecer a proposta da companhia e da estrutura que possuia em todo o territorio americano.

E foi assim que Paula Borges teve a sua “virada de chave” e à partir desse evento, ela decidiu fazer parte desse projeto maravilhoso com um proposito real e digno de ajudar a classe baixa, média e alta no que tange as finanças, podendo atingir pessoas físicas em geral e não so empresários, que era até entao o maior nicho de atuacao de mercado de Paula.

Em 2017 inicia seus estudos para se licenciar como agente de seguros pelo estado da Geórgia, mas apenas em Maio de 2019 inicia as atividades profissionais. Atuando com produtos excelentes de mercado, somados com os anos de experiência na área financeira adaptados e ajustados à metodologia e leis americanas, Paula Borges foi promovida à Regional Vice Presidente em Outubro de 2019, cinco meses apenas após iniciar suas atividades profissionais junto à empresa de representação comercial Five Rings Financial, com sede no Colorado, fundada pelo CEO Mike Wilk.

Hoje, Paula Borges é National Vice President junto a Five Rings Financial, sendo uma das líderes de maior destaque representando os domiciliados em Atlanta-GA, atuando não somente nesse estado mas em mais de dez estados da federação americana. Paula Borges também se destacou junto a Agencia Brazillionaires, fundada pelo CEO Gustavo Couto e em meio a outros agentes brasileiros dos quais trabalham e atuam, nessa mesma sinergia e propósito: A missao de transformar a classe média e alta na classe de imigrantes mais próspera e saudável financeiramente, aqui nos EUA.

Paula Borges iniciou suas atividades junto a Five Rings Financial part time, e desde o ano 2021, atua em tempo integral na atividade de consultoria e educação junto à comunidade brasileira, hispana e americana.

Paula Borges é uma profissional de sucesso na América, que Veio, Viu e Venceu! Nao só na vida pessoal, mas também na esfera profissional, atuando na área financeira em todo territorio americano, ajudando nossa comunidade imigrante e outras, junto às finanças, à preservarem o patrimônio existente, e a ajudar a transformar os que estão em fase de formação e estruturacao financeira à se tornarem a comunidade mais prospera dos EUA.