Imagem: Liliane Ventura

Inacreditável! Um verdadeiro desvario tomou conta dos quatro poderes da República, incluindo-se entre estes a chamada imprensa tradicional.

Num toque de mágica esqueceu-se que o Presidente e seus seguidores  foram eleitos  por terem, naquele momento, declarado apoio integral às redes sociais que nas ruas combatiam a corrupção, representada pelo lulopetismo.

O apoio a Operação Lava Jato e às reformas econômicas de caráter liberal, foram fundamentais na conquista de centenas de milhares de votos.

Por outro lado, os eleitores em sua imensa maioria pouco ou quase nada conheciam do feitio moral desses candidatos. Com nomes absolutamente novos na praça, não se de tinha referência de como reagiriam quando submetidos a forte estresse.

Nesse sentido, deve-se lembrar que  o caráter do voto foi mais de protesto do que de apoio

Certamente as últimas eleições inauguraram um novo tempo na política. Desde lá a sociedade se encontra, permanentemente mobilizada e sua pauta tem por destaque o combate sem tréguas à corrupção.

As redes sociais tem deixado claro que  o Brasil cansou. Engana-se quem considera que os eleitores deram um cheque em branco ao Presidente da República. Inúmeras postagens mostram inquietante descontentamento, o copo está cheio.

As últimas medidas da Câmara são um escarnio com a opinião pública que parece não estar disposta a aceitar o contorcionismo presidencial na tentativa de alisar os parlamentares e ao mesmo tempo agradar  apoiadores com vetos proteladores.

Basta navegar pela internet para saber o que se pensa no País. As redes sociais exigem que o Senhor Presidente vete integralmente a Bolsa Político, aprovada pela Câmara, no valor de 1 bilhão e 700 milhões de reais. Isso mesmo, valor equivalente a 14 mega senas, como a ganha pela assessoria parlamentar do PT.

Presidente, a luz amarela pisca intermitentemente é hora de corrigir rumos, ou de se consolar em sair da História pela porta de serviço.

#VetaPresidente