A velha imprensa deixou de lado os fatos reais   –   a vida como ela é  –  para se transformar em um veículo de divulgação quase que exclusivamente interpretativo. Não tendo mais leitores em número suficiente, mudou até o formato de suas edições.

Um grande jornal paulistano adaptou sua configuração ao perfil de sua redação e não se importou, nem ao menos com a sua aparência, que durante décadas o tornaram conhecido por um apelido carinhoso e superlativo. Hoje, no diminutivo, virou um pasquim, de corpo e alma.

A mídia brasileira, que no passado teve uma importância fundamental na luta pelo direito à liberdade de expressão, não traça uma única linha em defesa do jornalista Alan dos Santos, o qual pejorativamente é chamado de blogueiro, pelo simples fato de seu matiz ideológico não coincidir com o dos que pensam em bloco.

É estranho que uma sociedade seja informada, praticamente por uma única versão ideológica, em um país que oficialmente tem 33 partidos políticos registrados. É difícil entender tamanha diversidade partidária de um lado, e de outro uma máquina monolítica de informação.

Fica-se com a impressão, que por motivos outros, as empresas jornalísticas deixaram de lado a saudável concorrência de seus negócios para apoiarem um único lado do espectro ideológico, negando à sociedade o direito de conhecer o fato real, sem filtros de qualquer natureza.

Assim, certos acontecimentos passam em branco ou são levados para o rodapé da notícia, onde, muitas vezes, são jocosamente comentados.

Tristes tempos estes em que se reencarna o Tribunal do santo oficio, com outras togas e, no sacrossanto lugar das rotativas, se instalam torquemadas pandêmicos travestidos de defensores da verdade. Quem diria! Os censores de hoje não usam fardas ou fazem parte de algumas redações de veículos de comunicação, transformados em puxadinhos politico partidários.

Mas os versos do gaúcho Mario Quintana estão vivos para nos lembrar que “eles passarão, eu passarinho

(*) José Roberto de Souza Dias PhD e Mestre pela USP,Dr.Honoris Causa pelo Cesusc, Jornalista, Mtb 0083569, Publisher do Two Flags Post e do Canal JR Três Pontos,

www.twoflagspost.com

www.instagram.com/joserobertosaouzadias33/