Urgente: no mato sem cachorro (28/05 – 08:16 pm)

0
248

O presidente Michel Temer trocou neste domingo (28/05) o comando do Ministério da Justiça pelo do Ministério da Transparência. Torquato Jardim assumirá a pasta da Justiça, substituindo Osmar Serraglio, que será novo ministro da Transparência.

Ao trocar as peças parece que a intenção do Presidente, no fundo, foi a de salvar a própria pele e criar um discreto freio na Operação Lava Jato.

Isso é fácil de compreender: a Policia Federal responde diretamente ao Gabinete da Justiça e qualquer chefe que se preze vai querer “ganhar pé da situação”.

Isso significa dar explicações ao novo chefe, coloca-lo a par do andamento das atividades e com isso retardar o que está em andamento. Serão necessárias algumas horas e talvez dias de trabalho para satisfazer a demanda por informações do novo ministro. Ora, isso representa dar um tempo as atividades em andamento. Tempo é o que mais o Planalto precisa para garantir uma saída honrosa do desgastado Presidente.

Um troca troca a essa altura do campeonato, em um domingo, quando as redações estão vazias – menos de dez dias do julgamento da Justiça Eleitoral que poderá cassar o mandato do presidente – é mais do que suspeito.

Segundo a Folha de São Paulo, Osmar Serraglio não tinha pulso forte e, ao contrário de Torquato que já foi Ministro do TSE, tem boa relação com os tribunais superiores.

Por outro lado, a ida de Serraglio para a Transparência mantém o foro privilegiado do deputado federal afastado Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR), amigo do presidente. Loures é suplente de Serraglio e assumiu o mandato do deputado após sua ida para a Justiça.

Loures é exatamente aquele deputado que foi flagrado por uma ação controlada da Policia Federal recebendo uma maleta com R$ 500 mil de Ricardo Saud, executivo da JBS, e está sendo investigado no STF, no mesmo inquérito que envolve Temer.

Com esse ajuste pretende o Presidente da Republica matar dois coelhos com uma só cajadada. De um lado fica com um interlocutor mais habilidoso para tratar com os tribunais superiores e de outro acredita se blindar mantendo Loures como Deputado Federal.

O mais grave de toda essa história é que a “elite” politica brasileira parece não aprender, continua fazendo as negociatas de sempre e descaradamente se une para combater a Lava Jato.

Pois é, temos aqui dois tipos noticia: a má é que parece estar o governo perdido no mato sem cachorro e a boa que em junho de tédio não morreremos…
JR:.
28/05 – 08h16pm

Imagem: Alan Marques / Folhapress

Gostou, compartilhe com seus amigos.